Placas homenageiam metalúrgicos vítimas da ditadura militar

g_not_1505746829

O metalúrgico Santo Dias da Silva foi assassinado na tarde de 30/10/79, em frente à fábrica Sylvania, na zona sul de São Paulo. O tiro que o matou perfurou seu estômago, disparado pelo soldado Herculano Leonel, reconhecido por testemunhas, membro da tropa de choque da Rota.

Santo é uma das maiores figuras da luta operária do país no caminho em direção à democracia, retrato da mobilização popular e operária que produziu marcas definitivas na história política do Brasil.

Santo Dias se aproximou da Oposição Sindical Metalúrgica (OSM-SP) em 1965 participou do início da Pastoral Operária (PO) nos 1970.

A partir da organização das Comissões de Fábrica pela OSM, Santo Dias foi candidato à vice-presidente, na chapa encabeçada por Anísio Batista para a direção do Sindicato dos Metalúrgicos de SP. A eleição de 78 foi fraudada e o ministro do trabalho reconheceu como vitorioso ‘Joaquinzão’, liderança dos pelegos.

No ano seguinte, em 1979, a assembleia dos metalúrgicos decreta greve e a repressão policial se intensifica. A PM invade os locais dos comandos de greve e prende 334 dirigentes e militantes operários. Mesmo assim a greve acontece e quando Santo Dias e seus companheiros deixavam a porta da fábrica da Sylvania, foram abordados e o tiro que matou Santo Dias foi disparado.

A inauguração das placas é considerada instrumento fundamental de reparação às vítimas da ditadura e seus familiares, e atende à recomendação n.º 19 do relatório final da Comissão da Memória e Verdade da Prefeitura de São Paulo, publicado em dezembro de 2016, após dois anos e três meses de investigação sobre as violações praticadas por agentes do Estado entre 1964 e 1979.

O objetivo é que elas contribuam para dar ampla visibilidade às violações de direitos praticadas pelo regime militar, tarefa indispensável para a superação do arbítrio e na transição para a democracia.

Foram sepultados no Campo Grande os militantes:

EMMANUEL BEZERRA DOS SANTOS
(1943-1973)

MANOEL LISBÔA DE MOURA
(1944-1973)

SANTO DIAS
(1942-1979)

Serviço
Data: 18 de setembro de 2017, segunda-feira, às 15h
Local: Cemitério Municipal de Campo Grande
Endereço: Rua Antonio Furlan Júnior, 501, Campo Grande
Um ônibus sairá às 13h30 da sede da SMDHC: Rua Doutor Falcão, 99, metrô Anhangabaú.

Informações: Investigação Operária: empresários, militares e pelegos contra os trabalhadores. Conselho Políticos do Projeto Memória da OSM-SP. 2014 São Paulo.

Fitmetal

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>